como-dar-banho-no-cachorro

Muitos donos de animais preferem dar banho e cuidar da higiene dos peludos em casa mesmo, seja por conta da crise econômica, por medo de maus tratos em pet shops ou simplesmente para ter mais contato e criar um vínculo maior com o animal de estimação. Mas para isso é importante adotar alguns cuidados básicos para que o seu cão não corra nenhum risco de ficar doente.

Para te ajudar nessa importante tarefa, reunimos nesse artigo algumas das principais dúvidas e as recomendações feitas pelos veterinários. Confira!

1. Qual a temperatura ideal da água?

De morna para fria. Água muito quente é extremamente perigosa para os cachorros, podendo prejudicar a pelagem. Mesmo nas épocas de frio, opte pela água com a temperatura morna, já no calor, água em temperatura ambiente pode ser uma boa opção. A água em temperatura muito elevada não é recomendada para nenhum animal, muito menos para os cães. Por isso, fique atento e tome cuidado em a temperatura antes de tudo.

2. Como proteger os ouvidos?

Muita gente não sabe, mas é extremamente importante proteger os ouvidos dos cães quando forem tomar banho. Se entrar muita água no ouvido do animal ele pode ter sérios problemas e inflamações, como a otite. Então, a melhor forma de prevenir é colocando chumaços de algodão dentro do ouvido do pet.

Após o banho, não esqueça de retirar o algodão, limpar bem a orelhinha dele e certificar-se de que o ouvido está bem seco. Para cães que já sofrem com inflamações no ouvido, existem algodões hidrofóbicos, que tem maior poder de evitar a entrada da água.

3. Qual shampoo usar?

Existem milhares de opções de shampoos para pets e o ideal é sempre buscar algo específico. Você pode encontrar produtos para pelos escuros ou claros, anti caspa, para pele sensível, para prevenir pulgas e carrapatos e etc. Então, escolha um que atenda às necessidades do seu cão e evite usar shampoos, condicionadores ou sabonetes de pessoas nos cães.

É muito comum ouvir pessoas que lavam seus animais com sabão de coco, mas saiba que ele é completamente contraindicado, pois causa irritação na pele e tem PH que não é indicado para os bichos. Já os sabonetes a base de enxofre podem ser usados em animais com problemas de oleosidade, mas deve ser indicado pelo veterinário, pois pode ressecar os pelos.

4. Onde devo dar o banho?

Não existe uma regra quanto ao local. Pode ser no box do seu banheiro, no tanque ou no quintal. Mas vale lembrar que nas épocas de frio é recomendado que o animal fique em um local quente, que não tenha vento, para evitar que pegue friagem. E não esqueça de ter atenção com a temperatura da água, como falamos acima.

5. Como secar o cão após o banho?

Use primeiro uma toalha para retirar o excesso de água e, em seguida, conte com a ajuda de um secador de cabelo. Mas tome cuidado e nunca use a potência máxima do secador, regule para a potência média e mantenha o aparelho cerca de 30 cm distante do animal para evitar queimaduras. Não use o secador se o cão tiver problemas de pele e muita coceira.

Certifique-se que seu cachorro está com o pelo bem sequinho antes de solta-lo. Isso é importante para evitar doenças de pele. Cães com pelo longo devem ser escovados enquanto secam os pelos.

6. Posso usar perfumes no meu cachorro?

Existem alguns perfumes específicos para cães no mercado, mas não são todos os animais que podem receber esse cheirinho especial. Uma das dicas que os veterinários dão é aplicar o produto quando o pelo ainda estiver molhado, assim o álcool evapora durante a secagem, deixando um cheirinho suave. Lembre-se de aplicar apenas no corpo e evitar a região da cabeça e pescoço.

Se o cão tem problemas respiratórios e alergias, abra mão desse luxo e esqueça de vez os perfumes. E nada de usar perfume humano nos pets, podem agredir o olfato e o pelo do seu amigo de quatro patas.

Brincadeiras e Elogios

No final de todo o processo, não esqueça de brincar e elogiar o seu cachorro. Essa é uma boa forma de fazer com que o animal associe o banho a algo bom. É o que os veterinários chamam de reforço positivo. Então, capriche nos mimos, dê biscoitos, elogie ou leve-o para passear. Dessa forma, da próxima vez em que você disser a ele “hora do banho” ele ficará feliz ao invés de correr e fazer de tudo para se esconder e fugir desse momento.

E lembre-se de que o banho é uma das melhores oportunidades para você examinar o seu bicho de estimação e checar se está tudo bem com ele, verificando a pele, o pelo e os ouvidos. Aproveite o momento e cuide sempre bem do seu cachorro!

Conteúdo cedido por: Cão de Rodas – Cadeira de rodas para cachorro

como-cuidar-cao-inverno

O inverno está próximo e as temperaturas baixas já deram as caras durante o outono. Com isso, assim como nós, os pets podem ficar mais suscetíveis ao aparecimento de algumas doenças, como a tosse dos canis, que é muito similar ao resfriado humano e apresenta sintomas como febre, tosse, coriza e apatia. Cães mais velhos podem ainda apresentar sintomas de doenças osteoarticulares por causo do frio.

E já que o melhor remédio é sempre a prevenção, redobrar os cuidados com o seu cão durante as épocas de temperaturas baixas vai garantir que ele fique saudável e curta esse período da melhor maneira possível. Para isso, preparamos uma lista com os cuidados que você deve ter com seu cão durante o inverno. Confira:

  • Vacinas

Aproveite que o inverno ainda não começou que leve seu pet ao médico veterinário para uma consulta de rotina e aproveite para verificar se ele está com todas as vacinas em dia. Cachorros que estão constantemente em contato com outros animais têm mais chances de pegar a tosse de canil e a vacinação é o melhor método de prevenção, já que durante o inverno o animal pode ficar com a imunidade baixa e, assim, se tornar mais vulnerável à contaminação.

Lembre-se que vacinação é um ato de amor, tão fundamental para a sobrevivência dos animais quanto é para nós humanos.

  •  Banhos

Durante o inverno você deverá diminuir a frequência de banhos. Para isso, use lenços umedecidos ou gel de banho a seco para prolongar a duração do banho. Se optar por leva-lo ao petshop, certifique-se de que seu bichinho de estimação está recebendo os devidos cuidados, como o uso de água morna e a proteção do ouvido para evitar otite.

Escolha as horas e os dias mais quentes para dar banho no seu cão e não o leve para passear logo em seguida. Principalmente se tiver ido ao petshop, que costuma ter secadores grandes e muito quentes. O choque térmico pode ser perigoso ao seu amigo de quatro patas.

  • Passeios

Você pode e deve passear sempre com o seu cão para mantê-lo feliz e saudável, mas escolha as horas mais amenas para realizar os passeios. Os períodos da manhã e da noite costumam ser muito mais gelados, podendo causar hipertermia e ainda queimar as patinhas do pet, afinal, o frio também queima.

As melhores horas para passear durante o inverno são entre às 11h e 15h. Se você perceber que o dia está realmente muito frio, brinque com seu cão dentro de casa. Jogue bolinha e o entretenha para que ele não fique triste ou ansioso pela falta do passeio.

  • Tosas

Se os banhos devem ser feitos com menos frequência, as tosas estão proibidas. O pelo do animal funciona como um isolante térmico natural, protegendo-o do frio e o mantando quentinho e confortável. Por isso, é muito importante que você permita que seu cachorro fique com os pelos grandes e não o tose. Apenas a tosa higiênica está liberada nas épocas de frio.

  • Roupinhas

Alguns cães não têm muito pelo e por isso vão precisar usar roupinhas. Os filhotes e cachorros de pequeno porte também precisam de mais proteção. Alguns animais costumam tremer de frio e você deve ficar atento a isso. Deixe um pouco a estética de lado e procure por roupinhas que sejam quentes e confortáveis. Seu pet precisa se adaptar ao uso, caso contrário ficará estressado.

As roupinhas que fecham com velcro são melhores e mais simples de pôr e tirar e, por isso, podem ser uma boa opção para os bichinhos que ainda estão em fase de adaptação. E nada de roupas apertadas, procure algo que fique mais larguinho e confortável. Caso contrário ele não conseguirá se adaptar.

  • Abrigo

Todo cão deve ser abrigado em locais quentes e confortáveis, principalmente, durante o inverno. Por isso, se ele dorme em uma casinha do lado externo da casa, certifique-se de estar sob um local coberto e de que a abertura por onde ele entra e sai está protegida dos ventos. Coloque um papelão no chão da casinha e sob o colchão, para manter a temperatura mais agradável e aconchegante e evitar que se perca calor.

Outra dica legal é usar caminhas com isolante, evitando que o colchão fique diretamente em contato com o piso frio. Você também pode utilizar um estrado para isso. E não esqueça dos edredons e cobertores, para que ele possa se aquecer durante as noites frias.

Alguns cães gostam de dormir ao relento ou na chuva. Se essa é uma característica do seu animal, prenda-o em um local seguro durante a noite. Permitir que o cão tome chuva ou fique no vento pode ser muito perigoso para a saúde dele.

  • Alimentação

Assim como em nós humanos, os bichos também aumentam o gasto calórico para manter o corpo funcionando no frio, por isso eles precisam ingerir mais alimentos durante o inverno do que durante as épocas mais quentes do ano. Caso contrário, podem apresentar sérios quadros de desnutrição e ficar mais vulneráveis às doenças.

A recomendação é de aumentar a quantidade de comida entre 15% e 30%. Mas cuidado com os exageros, para não deixar seu cão obeso. Se tiver dúvidas, aproveite a consulta ao veterinário e informe-se sobre a quantidade exata de comida que você deve dar ao seu cão.

dicas-viajar-carro-caoTer um cachorro em casa é mais do que ter um animal de estimação. Para a grande maioria dos donos, seus cães são membros da família. Sendo assim, cedo ou tarde eles acabarão embarcando junto em alguma viagem de carro. E para que corra tudo bem e a viagem seja repleta de boas histórias você precisará tomar alguns cuidados com o seu pet.

Se você está se preparando para levar o seu amigo de quatro patas pela primeira vez em uma viagem de carro, siga nossas dicas:

1 – O carro
A primeira dica é acostumar seu cão a andar de carro. Ele precisa se sentir confortável e saber que aquilo é algo tranquilo. Se você não tem o hábito de leva-lo para andar de carro, faça passeios curtos para que ele se acostume com a ideia e com o ambiente. Outra dica legal e fazer o animal entrar e sair do carro dando recompensas a ele. Dessa forma ele interpretará o passeio de carro como algo bom.

Alguns cachorros sentem ânsia e podem vomitar. Se isso acontecer com o seu cão nessa fase de adaptação o mais aconselhável a fazer é leva-lo ao veterinário, que provavelmente indicará um remédio para controlar essa sensação de mal-estar e evitar vômitos durante o percurso.

2 – Documentos
Assim como nós, os cachorros também precisam do seu “RG”. Não que ele precise de um documento oficial, mais sim de algo que o identifique, como uma plaquinha pendurada na coleira, contendo as informações do cão e do dono, como o nome dele e os seus números de telefone.

Caso ele se perca durante a viagem, o que não é raro, será mais fácil de ser localizado. Por isso, não deixe essa dica de lado e providencie uma plaquinha com identificação antes de viajar.

3 – Antes de entrar no carro
Quando estiver com tudo pronto para viajar, reserve alguns minutos para levar seu cachorro para passear na coleira. A atividade física faz bem para a saúde geral do cão e o ajudará a relaxar antes da viagem. É bem provável que ele se sinta cansado depois da caminhada e passe boa parte do tempo no carro dormindo.

4 – Prepare o carro
Colocar a caminha dele sobre o banco ou os paninhos que ele gosta para dormir pode ajudar muito na hora de manter seu cão mais calmo. Objetos que remetam ao aconchego de casa ajudam a tirar a ansiedade e fazer com que ele se sinta em um ambiente familiar e confortável durante a viagem.

Outra dica importante na hora de arrumar o carro é forra o banco de trás com uma lona ou plástico. Dessa forma você evita prejuízos caso o cão se suje e entre no carro e, também, caso ele enjoe e vomite.

5 – Cinto de segurança
Não são apenas nós humanos que devemos usar cinto de segurança. Segundo as leis de trânsito brasileiras, cachorros não podem andar soltos no carro, nem no banco de trás e nem no da frente, pois além de ser perigoso para o animal, oferece risco também ao atrapalhar o motorista.

Você precisará de um cinto de segurança ideal para cachorros e adaptado ao tamanho do seu cão, ou usar caixas transportadoras de animais, que é muito eficiente para os pets de pequeno porte. É importante ressaltar também que não se deve permitir que o cão ande com a cabeça para fora da janela. Por mais que ele goste do ventinho na cara, é muito perigoso.

6 – Pit Stop
Principalmente se a viagem for muito longa. Seu amigo precisará descer do carro algumas vezes para fazer as necessidades fisiológicas e também para beber água e aliviar o estresse. Dependendo do porte do cão você precisará fazer mais ou menos pausas. Uma boa média é parar a cada uma hora de viagem.

Aproveite esse momento para andar com ele um pouco e fazer exercício antes de voltar novamente para o carro. Dessa forma ele ficará mais tranquilo para encarar mais algumas horas de viagem.

7 – O Hotel
São muitos os hotéis que aceitam cachorros como hospedes, mas não corra o risco de não perguntar e reservar previamente. Existem locais que disponibilizam canis, mas não permitem que o cão fique com você no seu quarto. Portanto, para não ter surpresas desagradáveis, inclua isso no seu planejamento.

8 – A bagagem do cão
Por último, mas não menos importante, não esqueça de preparar a mala de viagem do seu cachorro. Ele vai precisar dos potinhos e da comida, dos brinquedos favoritos, da caminha e dos cobertores e da guia. Leve tudo o que você acredita que fará com que ele se sinta em um local aconchegante e familiar, evitando que o cão fique triste e ansioso para voltar para casa.

Aproveite para incluir itens de higiene, como lencinhos umedecidos, que serão importantes para limpa-lo caso ele passeie por lugares que tenham mato e barro, e saquinhos para recolher as fezes.

Siga nossas dicas e boa viagem!

Quem tem cachorro em casa sabe o quanto a saúde e o bem-estar do pet é importante, afinal ele já é mais do que apenas um melhor amigo, é um membro da família. Acidentes com cães são mais comuns do que podemos imaginar e alguns cuidados simples podem evitar muitos deles. Então anote as nossas dicas e mantenha seu cão longe das encrencas

  • O adestramento

acidentes-cao1

Cachorros que são bem instruídos correm menos riscos de se acidentar. Por isso, se você tiver condições, leve-o em uma escola para cachorros. Quando ainda jovens eles têm mais capacidade para aprender.

Se você não tem condições de pagar adestradores, eduque o seu melhor amigo em casa mesmo. A famosa técnica de recompensa, que consiste em presentear o cão toda vez que fizer algo certo e repreender sempre que fizer algo errado, é uma das técnicas mais eficazes e simples. Com ela você pode ensinar seu cão a fazer as necessidades no local certo, a não revirar o lixo, a não correr para a rua sozinho e muitas outras coisas.

Então, ensine seu cão desde cedo a como se comportar em situações e locais que possam oferecer algum risco. Essa será uma das melhores e mais eficazes técnicas de prevenção de acidentes.

  • Passeio sempre com coleira

acidentes-cao2

Todo cachorro adora passear. Esse é um momento muito divertido para eles, que se sentem livres para explorar o mundo, praticar um exercício e brincar. Quando for levar seu cão para passear, mantenha-o sempre preso na guia. É muito comum ver alguns donos soltarem seus animais de estimação em parques públicos. Além de isso ser proibido, aumenta-se e muito o risco de acidentes.

O cão se distrai muito facilmente e pode correr para longe de você quando quiser alcançar alguma coisa que chamou a atenção. Nesse momento ele pode correr para o meio da rua, ou até de uma ciclovia e ser atropelado, por exemplo. Brigar com algum outro cão também pode ser perigoso, já que existem muitas doenças infecciosas que podem ser transmitidas nesse contato.

  • Criança devem ser instruídas

acidentes-cao3

Crianças costumam gostar muito de cachorros e esse convívio é muito saudável para os dois. Mas, por serem pequenas, as crianças não têm muita noção do que podem ou não fazer e tratam o animal como um bicho de pelúcia. É importante que os pequenos sejam ensinados a não bater, puxar os pelos ou o rabo do animal. Além de prejudicar a saúde mental do cão, isso irá provocar agressividade predatória, colocando a vida das crianças em risco também.

  • Cães devem ficar longe de objetos quebrados

acidentes-cao4

Toda vez que quebrar alguma coisa, principalmente louças e vidros que tendem a espalhar mais os estilhaços, impeça que o cachorro entre no local. Os cães podem inalar ou engolir os pedaços do objeto quebrado, principalmente se for um prato com comida, que é muito tentador e ele provavelmente tentará pegar um pedaço do que se espalhou pelo chão, ou ainda cortar as patas ao pisar nos fragmentos cortantes.

Então limpe todo o local com a máxima atenção e apenas permita que o seu pet circule por lá após ter certeza de que não há mais nenhum risco.

  • O lixo deve ficar fora do alcance dos peludos

acidentes-cao5

Um cão não precisar ser necessariamente um “vira lata” para adorar fuçar nas lixeiras da casa. Principalmente se o lixo contiver restos de comida, como é o caso dos lixos da cozinha. O problema é que o cachorro pode acabar engolindo itens perigosos, como sacolas, lacres de latinha, ossos e outras coisas que causam sufocamento ou perfuram os órgãos internos no animal.

Para evitar esse tipo de acidente prefira lixeiras pesadas e com tampa ou às mantenha em um local onde o cachorro não tenha acesso. Principalmente se ele passa muitas horas do dia sozinho em casa.

  • Coloque rede de proteção nas janelas e varandas

acidentes-cao6

Ao tentar se lançar em direção de algo que queriam alcançar, os cachorros não costumam calcular bem o perigo e podem acabar se acidentando gravemente. Acidentes de cães que caem de janelas ou varandas de casas e apartamentos é muito comum, deixando o animal paraplégico ou até levando a morte.

Uma medida muito eficiente e barata é instalar redes de proteção em todas as janelas e grades altas e fechadas nas varandas e lajes, impedindo que o cão caia ou se lance por ali.

  • Cuidado ao abrir a porta de entrada

acidentes-cao7

Muitos cães ficam sempre à espreita, esperando o momento em que alguém entre ou saia de casa para poder correr para a rua. Isso acontece principalmente com cachorros que ficam presos muito tempo em casa e não são levados para passear. O maior problema está na euforia que o cão sente ao conseguir escapar, podendo correr para o meio de rua e ser atropelado.

Então, além tomar cuidado sempre que entrar e sair, leve seu cão para passear diariamente ou sempre que puder. Aproveite para ensina-lo a passear da forma correta andando sempre junto de você. Dessa forma, evitará que ele tenha tanta vontade de fugir.

  • Não deixe cabos de eletricidade soltos

acidentes-cao8

Alguns cães, principalmente quando filhotes, gostam de puxar e brincar com os fios de eletricidade dos aparelhos, como televisão, vídeo games, abajures e etc. O problema é que ao morder o cabo ele pode receber uma forte carga elétrica, ocasionando queimaduras graves ou, até mesmo, morte instantânea. Por isso, reúna e isole todos os cabos, de forma que seu pet não tenha acesso a eles.

Conteúdo fornecido por: Cão de Rodas – Cadeira de rodas para cachorro

Com o novo site totalmente reestruturado ficou muito mais fácil chegar à Clinica Veterinária Personal Dog.

Estamos localizadados na:
Av. W3, 713 Norte
Bloco “F” Loja 56
Asa Norte | Brasília – DF

Veja no mapa abaixo:
Obs.: para saber como chegar, clique no ícone (desenho) da Clínica Veterinária Personal Dog e depois clique em “Rota” ou “Direções”.


Visualizar Clínica Veterinária Personal Dog | Pet Shop | W3 | 713N | Asa Norte Brasília – DF em um mapa maior

Para se localizar melhor, navegue pela imagem (rua) …
Obs.: clique na imagem e arraste para cima, para baixo ou para os lados, posicione o mouse até aparecer objetos (e clique neles) ou use o navegador (circular) no canto superior direito da imagem abaixo.


Visualizar Clínica Veterinária Personal Dog | Pet Shop | W3 | 713N | Asa Norte | Brasília – DF em um mapa maior

Entre em contato conosco por Telefone: (61) 3274-4344, E-Mail: contato@veterinariapersonaldog.com.br
ou [ clicando aqui ].

Trabalhamos com entrega de rações, medicamentos e acessórios, além do serviço de transporte animal, onde é feito com muito carinho para não estressar o animal.

 

Saiba mais sobre o serviço [ clicando aqui ].

A nossa hospedagem é feita da forma mais agradável possível. É sempre bem limpa e esterilizada, passeamos e brincamos bastante com os animais para que eles sintam o mínimo possível a falta do seu dono.

 

Saiba mais sobre nossa hospedagem [ clicando aqui ].

Olá, seja bem-vindo(a) ao novo site da Clinica Veterinária Personal Dog. E esta é a primeira notícia /post do nosso novo Blog.

 

Saiba mais sobre nossos serviços [ clicando aqui ].

Vamos aderir à prevenção contra a leishmaniose visceral canina,  hoje em dia é a melhor opção para evitar que seu melhor amigo fique doente e precise de um tratamento para a vida toda.  Hoje temos várias opções no mercado, coleiras, sprays, coleiras, medicamentos pour-on, etc. O importante é sempre estar atento aos prazos de cada tipo de preventivo que for usado , pois alguns permanecem agindo por 30 dias, outros por mais tempo como é o caso das coleiras que podem durar até 4 meses.

Lembre-se, a prevenção é a melhor forma de impedir um problema futuro.

 

Veterinária Personal Dog